• Subiter

Inovação e as revoluções industriais

Atualizado: Set 17

Falar sobre inovação se tornou clichê? Não para nós da Subiter. Quer entender o porquê? Leia este artigo até o final.


Escutamos todos os dias essa palavra e muitos a associam com mudanças contemporâneas. Mas não é bem assim. O homem inova há muito tempo. Há milhares de anos, as noites frias de inverno e a escuridão eram grandes inimigas do homem. Havia predadores famintos que poderiam atacar enquanto dormíamos... Até que um dia, talvez ao observar uma árvore atingida por um raio, os hominídeos entenderam que eles poderiam reproduzir, utilizando suas ferramentas (pedras), algo que mudaria a evolução da humanidade. O fogo foi descoberto através de observação crítica, inquietude e necessidade. Como nenhuma outra criatura, conseguimos usar um fenômeno natural para superar as dificuldades. Uma inovação!




O que é inovação?


A inovação tem diversas definições. Segundo Vinícius Picanço, professor e coordenador do Centro de Empreendedorismo do Insper,


“Uma INOVAÇÃO é uma forma nova de fazer algo, que de fato, consegue ser apropriada pelas pessoas e gera valor para as empresas ou para a sociedade.”


E foi assim durante toda a evolução. O homem precisava se reinventar. Precisava fazer algo além, para solucionar problemas e gerar valor. Os períodos mais marcantes no quesito inovação, principalmente a tecnológica, foram durante as Revoluções Industriais. Nos últimos 300 anos o homem passou por períodos de mudanças bem intensos e repentinos, decorrentes da necessidade de melhorar os processos, aumentar a eficiência e a segurança das máquinas, produzir mais... em cada etapa, algo inovador aconteceu.


Revisando...


1ª RI

A 1ª Revolução Industrial ocorreu na Inglaterra no século XVIII. Naquela época, as atividades econômicas da cidade eram simples. Não havia máquinas ou equipamentos mecanizados que auxiliassem nas atividades. Basicamente agricultura, criação de animais, manufatura artesanal e construção civil. A máquina a vapor e a mecanização de equipamentos foram os divisores de água para o surgimento das indústrias. A cidade sentiu o impacto das mudanças no seu cenário. Basta comparar ilustrações de Londres antes e depois da Revolução Industrial e imaginar como a vida dos cidadãos da época foi alterada.


Ilustrações de Londres nos séculos XVI (à esquerda) e XVII (à direita).

2ª RI

A 2ª Revolução Industrial ocorreu no século XIX. Foi marcada pela expansão do uso da eletricidade, do motor a combustão e a produção em série. Nessa época o mundo vivenciou novamente uma profunda transformação. A locomotiva a vapor foi criada por George Stephenson. Faraday e Henry, descobriram o gerador e o motor elétrico. O primeiro processo fotográfico disponível publicamente, conhecido como daguerreotype, foi criado pelo francês Daguerre, e o estetoscópio pelo francês Laënnec.


Produção em série em uma fábrica de automóveis no século XIX..

3ª RI

Em meados do século XX, experimentamos a 3ª Revolução Industrial, que também ficou conhecida como Revolução Técnico-Científica e integrou a ciência, a tecnologia e a produção. Passamos a automatizar processos. As pessoas começaram a ter mais conhecimento do conceito de globalização, graças à internet e à aviação comercial. Foi explorado o conceito de produção just in time, colaborando para redução de desperdícios na indústria. A produção customizada se tornou mais importante que a produção em massa.


Linha automatizada de fabricação e montagem de automóveis.

4ªRI

Seguindo a tendência de intervalos cada vez menores entre uma revolução industrial e outra, estamos vivendo a 4ª Revolução Industrial. São inúmeras as novas tecnologias que impactam na economia e na forma que vivemos. Desde a década de 2000 ouvimos falar em tecnologias vestíveis, veículos autônomos, inteligência artificial, internet das coisas. E muitas delas já são realidade.


As inovações impactaram diversas áreas das nossas vidas. Alteraram a relação do homem com o trabalho, ressignificando os valores da cadeia de produção. Alteraram a maneira de como nos deslocamos, com o Uber, e como nos alimentamos, com o Ifood. Alteraram a maneira como lidamos com o dinheiro, com o Nubank e o conceito de fontes de energia, com a Tesla.


Marcas inovadoras da 4ª Revolução Industrial.

A quarta revolução industrial é a revolução do conhecimento e não mais apenas da informação. O volume de dados disponível é absurdo, e o que diferencia uma empresa ou pessoa hoje é o conhecimento agregado ao filtrar todas as informações disponíveis e gerar valor. Neste quesito, ecossistemas de inovação, como os diversos parques tecnológicos espalhados pelo mundo são os principais polos de transformação hoje. A Subiter, por exemplo, está localizada no Parque Tecnológico de São José dos Campos – SP, um dos maiores do Brasil.


Muita informação até aqui, não é mesmo? Então vamos fazer um quadro-resumo com as principais informações das Revoluções Industriais!


Quadro-resumo das Revoluções Industriais.

Como inovamos na Subiter?

Aqui na Subiter a inovação é parte do nosso dia a dia. Por meio da visão computacional aplicada no espectro infravermelho, desenvolvemos soluções inéditas para monitoramento e inspeção inteligente. Colocamos em prática a tríade “observação crítica, inquietude e necessidade” com o objetivo principal de agregar valor para o cliente e para toda a sociedade.

Vem inovar com a gente!

Entre em contato

Av Dr Altino Boldensan, 500 | Nexus

Parque Tecnológico de São José dos Campos

(12) 3876 7757 | (12) 98161 0539

  • LinkedIn - Black Circle
  • Facebook
  • Instagram

© 2020 Subiter - Todos os Direitos Reservados. Desenvolvido por Agência Madre.

Chat.png